24/02/2015

AVivo fechou o ano de2014 com 84%de sua base de clientes com um smartphone em mãos, crescimento de 9% em relação a 2013, informou hoje o diretor- geral da empresa, Paulo Cesar Teixeira, em conferência de divulgação do balanço. Segundo ele, o crescimento dos pacotes de dados foi ainda maior, de 12%, em relação ao ano anterior, fazendo com que base de clientes que tem umpacote capaz de acessar a internet é de 78%. Fechamos o ano capturando 78% detodoo mercadoincremental dereceitas deserviços móveis, comemorou o executivo. Foram incorporados à planta da operadora de celular pelo menos 15 milhões de novos aparelhos inteligentes.

Conforme a Vivo a receita média (ARPU) de um usuário 4G é 54% maior do que a do cliente 3G. O executivo informou.

Embora aempresa nãotenha antecipado qualquer número para este ano aguara a palavra final do Cade sobre a compra da GVT- os analistas entenderam que o grupo deverá investir cerca de 18% de suas receitas no mercado brasileiro. Este ano, a Telefônica Vivo investiu R$ 9,140 bilhões, dos quais R$ 6,033 bilhões foram diretos nas redes e o restante seguiu para o pagamento da licença de 700 MHz.

Na rede fixa, o destaque foi para o número de casas paulistas quejá têm a fibra óptica.ATelefônicaVivo fechou o ano com 6,7 milhões de residências prontas para receber ultarbanda larga. Deste total, 4,1 milhões de residências já têm a fibra chegando, eo o restante são casas com potencial. Segundo Teixeira, para este ano, o foco da empresa será conectar estas casas.

O executivo explicou também que a forte redução de custos, -0,4% ano a ano, apesar de aumento da inflação (o Opex do trimestre foi de R$ 6 bilhões e do ano de R$ 24,3 bilhões) se deu em diferentes áreas, entre elas o corte de gastos nos centros de distribuição. O aumento da provisão para devedores duvidosos ( de R$ 900 milhões) se deve ao incremento da migração dos clientes pré-pagos para o pós pago.

Fonte: Telesíntese